br ar    v a l v

PCP requer intervenção de fundo na rede viária de Esmoriz PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Comissão Concelhia de Ovar do PCP   
Segunda, 21 Junho 2010 02:22
Etiquetas:

Rua de Matozinhos

O representante do PCP na Assembleia Municipal de Ovar, Miguel Viegas, esteve recentemente de visita à Freguesia de Esmoriz, onde procurou sistematizar um pouco o que é já do conhecimento público: a rede viária de Esmoriz encontra-se num estado calamitoso. Apesar desta ser a segunda maior freguesia do Concelho, é óbvio que da parte do poder autárquico (Junta e Câmara) não houve a preocupação mínima em procurar realizar um plano de melhoramento, conservação e restauro de toda a rede viária. Resta saber onde estão os cerca de 500 mil euros que a Junta gastou anualmente ao longo dos últimos anos.

 

Rua Nova

As situações são muitas e diversificadas. Existem casos onde o piso está a abater junto às caixas da rede de águas pluviais, indiciando problemas de ruptura das condutas com infiltrações e abatimentos de terra. O caso mais flagrante situa-se na rua aparentemente sem nome que segue na zona da Torre, em plena zona industrial, entre a rotunda e a Rua da Ilha. São centenas de camiões pesados que por ali passam, obrigados a desviar-se para evitar o declive, invadindo a outra faixa. Temos igualmente outras situações onde os remendos deixados aquando da construção da rede de águas pluviais ou de gás natural deixam muito a desejar. Um caso emblemático situa-se da Rua Nova que é das mais frequentadas na parte norte da freguesia. São buracos atrás de buracos, com autênticas fossas junto às sarjetas que tornam a circulação de peões e bicicletas uma verdadeira aventura.

 

Noutros casos são as tampas do saneamento e das águas pluviais de se encontram abatidas e/ou soltas, havendo já relatos de acidentes na Rua dos Castanheiros. Finalmente, existem outros casos de degradação pura e simples dos pisos onde não existe uma intervenção de fundo há anos. Não são já buracos, são extensões de rua onde o asfalto já nem sequer existe, dando lugar a uma mistura de saibro e pedras: Rua Ramalho Ortigão (transversal à avenida dos Correios), Rua de Matosinhos, Rua Santa Maria, Rua do Bairro Social, Rua da Indústria etc..

Perante este quadro desolador, Miguel Viegas enviou já um requerimento à Câmara procurando sensibilizar a autarquia para a necessidade de serem tomadas medidas urgentes até ao próximo Inverno, invertendo assim um sentimento de discriminação face a outras freguesias que se vai instalando na alma dos cidadãos esmorizenses.

Pode consultar o requerimento aqui.

Rua Ramalho Ortigão