br ar    v a l v

Pela segurança da população na EN109, na Ponte Nova PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Comissão de Freguesia de S. João de Ovar do PCP   
Sábado, 22 Abril 2017 20:03

Ausência de passeios na EN109

Dando continuidade à luta encetada pela segurança da população na EN109, na Ponte Nova, o PCP está a levar a cabo mais uma acção de reivindicação. A Ponte Nova, entre outras localidades do nosso concelho, é atravessada pela EN109, cuja afluência tem sido intensificada desde a introdução de portagens na A29, gerando imensos constrangimentos e riscos para a população, agravados pela inexistência de sinalética, passadeiras e passeios para os peões.

A situação é ainda mais preocupante se se tiver em conta que todos os dias dezenas de crianças e jovens têm de a atravessar para a Escola Básica António Dias Simões e a Escola José Macedo Fragateiro.

Recorde-se que a Comissão de Freguesia de São João de Ovar do PCP entregou recentemente uma petição na Assembleia Municipal exigindo passeios e passadeiras na Ponte Nova de modo a garantir condições segurança para os peões, tendo sido posteriormente reencaminhada para a empresa estatal “Infraestruturas de Portugal”. Entretanto, o PCP soube que não se prevê qualquer tipo de requalificação para esta via.

Dados os acidentes ocorridos com peões na EN109, alguns dos quais mortais, e as más condições de segurança neste troço rodoviário, não havendo também, por parte das entidades competentes sinais que demonstrem vontade de mudança, cabe à população unir-se e lutar para garantir a sua segurança e melhorar as suas condições de vida.

Cruzamento com a Rua dos Fragateiros

Como é habitual o PCP estará do lado das justas reivindicações e por este motivo afixou na via pública placas alusivas ao problema, com o fim de congregar a comunidade da Ponte Nova em torno desta questão, de modo a pressionar a “Infraestruturas de Portugal” para a gravidade e urgência na concretização de soluções.

O PCP informa que existem algumas melhorias que dependem, exclusivamente, da sensibilidade das autoridades para esta matéria, nomeadamente a implementação de uma passadeira, sendo o caso mais flagrante na confluência da Rua dos Fragateiros com a EN109, fundamental para a circulação em segurança de crianças para o lado poente da Ponte Nova, onde se encontra a Escola Básica.

Paralelamente, salienta-se que as portagens na A29 são parte da origem do problema, salientando que em Março de 2016 o deputado municipal do PCP, Carlos Jorge Silva, propôs uma moção contra as portagens na A29, que foi aprovada por maioria apesar da abstenção do PSD. Já na Assembleia da República, o PCP apresentou um Projecto de Recomendação pela eliminação das mesmas portagens, que aguarda agendamento, sendo no entanto de salientar que o PS, PSD e CDS têm votado contra iniciativas neste sentido.

Sempre atentos à melhoria das condições das populações, os comunistas continuarão a desenvolver acções que possam conduzir à solução deste problema.

Ausência de passeios na EN109

 
Ovar esquecido no Bairro de S. José PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Comissão Concelhia de Ovar do PCP   
Quinta, 13 Abril 2017 22:31

Para o PCP, o nosso Município tem de ser visto como um todo coerente e harmonioso. É por isso que não se pode aceitar que, bem dentro da malha urbana da cidade de Ovar, existam cidadãos de primeira e de segunda.

Tal é o caso dos cerca de centena e meia de moradores do Bairro de S. José. Verdadeiramente “esquecidos”. É preciso reabilitar o espaço comum do Bairro, tornando-o um lugar aprazível para os habitantes, e dotá-lo de um parque infantil, sem esquecer outras infraestruturas importantes, como o gás canalizado.

Mas, sobretudo há muito que a população reclama a construção de um passeio no troço da Rua Tenente Coronel Camossa em direcção à escola da Oliveirinha, bem como das passadeiras necessárias. Não é admissível que, diariamente, um número significativo de crianças faça este percurso sem quaisquer infraestruturas que garantam a sua segurança.

Uma delegação do PCP, de visita ao bairro, pode ouvir os pedidos dos moradores para que se melhorassem os seus níveis de segurança na circulação pedonal, comprometendo-se este Partido a insistir junto da Câmara Municipal para que mobilize os meios necessários para a realização destes obra, bem como encetar os contactos necessários para o que gás natural possa ser uma realidade.

 
Reunião com a Associação Recreativa e Cultural da Ponte Nova PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Comissão Concelhia de Ovar do PCP   
Quarta, 29 Março 2017 23:21

Dando continuidade aos encontros promovidos com as instituições e colectividades locais, a Comissão de Freguesia de São João de Ovar do PCP reuniu com a Associação Recreativa e Cultural da Ponte Nova (ARCPN), em Março, na sede da colectividade, com o objectivo de melhor conhecer a sua história, orgânica, dinâmica, motivações, apreensões e vontades.

ARCPN

A Comissão foi gentilmente recebida por membros da Direcção, o seu Presidente Jorge Brás e Secretária Patrícia Soares, que aproveitaram a ocasião para apresentarem o caminho que a colectividade tem percorrido nos últimos anos, do qual se destaca a recuperação da Associação da condição de quase extinta.


Não obstante, a colectividade encontra-se em franca recuperação, através de um forte espírito de colectivo, em que a mulher tem tido um papel de destaque, tanto em tarefas executivas como directivas, mantendo as actividades com maior tradição na colectividade como é o caso do Ténis de Mesa, modalidade que acolhe juventude e motivou a organização de um torneio de grande envergadura na Arena DOLCE VITA. Mas outras actividades dão vida à colectividade, são o caso do snooker, dos torneios de sueca, das caminhadas, convívios e jantares de angariação de fundos, importantes para a requalificação das suas infra-estruturas que tem avançado de forma célere.


Por outro lado o PCP explicou qual a sua visão para as colectividades, reconhecendo-as como espaço ímpar de debate, de exercício de democracia e de acesso universal ao desporto, cultura e lazer.


Estes valores estão expressos nas conclusões do XX Congresso do PCP, documento entregue à Direcção da ARCPN pela delegação comunista, que agradeceu a cordialidade e abertura com que foi recebida, apresentando a sua disponibilidade para, em sede própria, defender os seus interesses.


Ovar, 29 de Março de 2017

A Comissão de Freguesia de São João de Ovar do PCP

 
Jantar de Aniversário - 96 Anos de Luta PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Comissão Concelhia de Ovar do PCP   
Quinta, 09 Março 2017 23:56

Jantar Aniversário 96 Anos de Luta

 
PCP reúne com o Grupo Desportivo e Cultural de Guilhovai PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Comissão de Freguesia de S. João de Ovar do PCP   
Domingo, 19 Fevereiro 2017 20:39

PCP reúne com Grupo Desportivo e Cultural de Guilhovai

Reconhecendo o PCP uma importância fulcral às instituições locais, ao associativismo e ao seu papel no apoio à cultura, desporto e outras actividades nas comunidades locais, a Comissão de Freguesia de São João de Ovar do PCP reuniu com o Grupo Desportivo e Cultural de Guilhovai, no passado dia 6 de Fevereiro.

Assim, uma delegação do PCP foi recebida pelo presidente da associação Sérgio Rodrigues que apresentou as valências e actividades da Instituição, bem como as necessidades e constrangimentos do trabalho diário característico das colectividades, nomeadamente os parcos apoios financeiros pela autarquia local, indispensáveis para algumas obras absolutamente indispensáveis para a prossecução da sua actividade. Convém lembrar que esta associação, associada da Confederação Portuguesa das Colectividades, conta com cerca de 500 associados e desenvolve a sua acção no campo desportivo e cultural, com especial relevo para o atletismo, apresentando um historial de grande sucesso nas diferentes categorias da modalidade.

No campo cultural desenvolve actividades como o teatro, encenando algumas peças com regularidade. O rancho folclórico, amplamente reconhecido, tem realizado muitas actuações, no país e no estrangeiro. Possui ainda um museu, pertencente à rede museológica nacional, com inúmeros objectos e referências à cultura local e um parque de lazer que pode ser usufruído pela população. Foi possível também perceber as aspirações da Associação, de crescimento consistente, nomeadamente com a construção da biblioteca, para poder servir a população, dada a riqueza do espólio literário que possui, e também do campo de futebol sintético, beneficiando deste modo a associação e a comunidade.

A Comissão de Freguesia de São João de Ovar, aproveitou o encontro para oferecer a Resolução Política que estabelece a estratégia do partido para os próximos quatro anos, aprovada no XX Congresso do PCP. Foi um gesto com significado, dado o documento definir a orientação do PCP para as mais variadas matérias no quadro nacional e internacional, tocando também no Movimento Associativo Popular.  

O PCP agradece ao Grupo Desportivo e Cultural de Guilhovai a cordialidade com que foi recebido e disponibiliza-se, como sempre, a desenvolver todos os esforços para garantir os justos apoios a nível local. Compromete-se ainda a lutar por uma verdadeira política nacional de valorização do movimento associativo popular, reconhecendo o seu papel na melhoria da qualidade vida das populações e na democratização da cultura e do desporto.

 
Sobre a Reabertura das Urgências do Hospital de Ovar PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Comissão Concelhia de Ovar do PCP   
Quarta, 25 Janeiro 2017 22:04

Sobre as notícias vindas a público, pela reabertura do Serviço de urgência Básico (SUB) no Hospital de Ovar, o PCP manifesta o seu apoio inequívoco a uma causa que sempre defendeu, e que subitamente obteve o apoio de outras forças políticas, salientando:

Sobre a Reabertura das Urgências do Hospital de Ovar

1. Desde a primeira hora que o PCP se manifestou contra o esvaziamento de valências do Hospital de Ovar, que se traduziu no encerramento da urgência pediátrica e, pouco tempo depois, pela urgência geral, levadas a cabo em 2007 pelo governo PS/Sócrates, então com maioria absoluta.

2. A valorização e defesa do Hospital de Ovar, no contexto de defesa do SNS e do direito constitucional à saúde para todos, tem sido algo que o PCP, ao contrário do PS e PSD, tem defendido coerentemente a nível local, regional e nacional. Uma coerência que se manteve ao longo do tempo, sem contradições de qualquer espécie e nunca ao sabor deste ou aquele governo ou de períodos pré ou pós-eleitorais.

3. O PCP valoriza e deixa claro que apoia, como sempre apoiou, toda a luta que se venha a desenvolver pela reposição dos serviços encerrados, nomeadamente as urgências, sempre em contacto com as populações, os utentes e os profissionais do SNS.

4. Neste contexto, não se pode deixar de recordar que foi precisamente o PCP o partido que se demarcou do protocolo assinado pela Câmara Municipal, então de executivo socialista, que a troco de algumas contrapartidas permitiu o encerramento definitivo das urgências do Hospital de Ovar, contra a vontade da esmagadora maioria da população e apesar desta nos meses anteriores se ter mobilizado em massa contra mais este encerramento.

5. Não pode, de igual forma, deixar de recordar que o PSD, ainda na última campanha eleitoral para as legislativas, afirmava preto no branco a sua intenção de privatizar mais hospitais para as Misericórdias, pouco tempo após a tentativa fracassada de transferência do Hospital de Ovar neste esquema, corroborando que a defesa do SNS nunca foi prioridade para este partido.

6. Do ponto de vista da necessidade das urgências para a população o PCP recorda o já afirmado há 9 anos atrás:

6.1. O próprio relatório técnico que sustentou os encerramentos reconhecia que Ovar tinha todas as condições para manter o seu serviço de urgência (casuística, população abrangida, equipamentos etc.) com excepção da proximidade ao Hospital da Feira, atendendo mais de uma centena de casos por dia;

6.2. O mesmo relatório reconhecia igualmente a necessidade de um serviço de urgência suplementar para áreas populacionais superiores a 200 000 habitantes, e considerava, numa das suas múltiplas contradições, que o Hospital da Feira servia, à data uma população imensa, de 330 000 habitantes, número que será neste momento superior;

6.3. O Hospital de Feira é manifestamente insuficiente para atender todos os casos urgentes de uma área enorme, criando tempos de espera que chegam a ultrapassar as 12h, que mais do que apenas incómodo, são passíveis de gerar situações potencialmente fatais para os utentes;

6.4. A distância e a falta de transportes regulares é mais um factor de dificuldade de acesso às urgências do Hospital da Feira, especialmente para a população mais idosa do concelho;

6.5. O Hospital de Ovar, que integra um serviço de medicina interna, dispõe do equipamento laboratorial e imagiológico necessário para o funcionamento de SUB que possa atender a maioria dos casos urgentes, enviando os casos urgentes mais diferenciados ao Hospital da Feira.

7. A defesa do SNS é uma luta colectiva. O PCP apela à mobilização dos utentes e profissionais, integrando todas as lutas no contexto da valorização dos serviços públicos de saúde: defendendo a reposição do serviço de urgência, defendendo investimento nas infraestruturas hospitalares e dos Centros de Saúde, combatendo políticas economicistas no financiamento dos serviços e combatendo a precarização dos profissionais de saúde, num momento em que grande parte dos profissionais do Hospital de Ovar se encontram em situação precária.


Mais informações:

CDU demarca-se da assinatura do protocolo sobre as Urgências do Hospital de Ovar

CDU condena encerramento da Pediatria do Hospital de Ovar


 
EP's para a Festa do Avante 2016 já à venda! PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Comissão Concelhia de Ovar do PCP   
Sábado, 30 Julho 2016 21:57

Em Ovar podes adquirir a tua EP no Centro de Trabalho na Praça da República nº7 (junto à Câmara Municipal) de 2ª a 6ª feira das 21H às 23H e aos Sábados das 10H às 12H30.
Contactos: 934388177 | 918727447 | Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar

Horário Vendas EP's 2016

 
O PCP próximo dos trabalhadores e do povo PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Comissão Concelhia de Ovar do PCP   
Terça, 12 Julho 2016 00:00

Basta de Submissão

Militantes do PCP prosseguiram a distribuição do documento “Basta de Submissão à União Europeia e ao Euro” desta vez na Valmet. Este documento transmite aos trabalhadores e ao povo que da iniciativa do PCP e da sua luta podem resultar proveitos.

Este testemunho endereçado aos trabalhadores da Valmet, demonstra que com a iniciativa decisiva do PCP, abriu-se uma nova fase na vida política do país, com limitações inerentes a um governo PS, mas também com as possibilidades que o contributo do PCP criou para dar resposta aos problemas e aspirações mais imediatas.

Entre outras medidas esta solução governativa, permitiu a eliminação da sobretaxa do IRS sobre trabalhadores em geral, aumento do salário mínimo nacional, o aumento do abono de família, aumento do complemento solidário do idoso e do rendimento de inserção social, não menosprezando a redução das taxas moderadoras.

Por proposta do PCP o orçamento de estado de 2016 consagrou ainda, entre outras, as seguintes matérias: Manuais escolares gratuitos para o 1º ano escolar já a partir de Setembro, apoio extraordinário aos desempregados de longa duração, redução da taxa máxima do IMI, desagravando o seu valor em 10% e interdição do aumento da taxa máxima e mínima das propinas.

Num compromisso inabalável com os trabalhadores e o povo, o PCP pretende criar um Plano Nacional de Combate à Precariedade Laboral, combater a desregulação do horário de trabalho, repor o princípio do tratamento mais favorável do trabalhador e eliminação da caducidade dos contractos colectivos de trabalho, consagrar as 35 horas como duração semanal de trabalho para todos os trabalhadores, subir do Salário Mínimo Nacional para 600 Euros e aumentar de forma extraordinária as pensões de reforma.

Esta é apenas a expressão possível no quadro da actual correlação de forças na Assembleia da República, de uma política patriótica e de esquerda que o PCP almeja para o país, o povo e os trabalhadores. No entanto, esta política do PCP inclui objectivos muito mais ambiciosos, quanto à produção nacional, pois mais produção significa mais emprego, mais desenvolvimento, mais riqueza, menos dependência. É evidente que só produzindo mais se pode dever menos.

 
Comissão Concelhia de Ovar do PCP encontra-se com a Direcção do Museu de Ovar PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Comissão Concelhia de Ovar do PCP   
Sexta, 10 Junho 2016 18:05

O Partido Comunista Português tem vindo a promover encontros com as associações e colectividades do Município de Ovar, de modo a conhecer melhor o trabalho que desenvolvem, assim como as suas necessidades e projectos. Desta forma, tem sido possível identificar carências, não só destas instituições, mas também da população.

Neste âmbito, o PCP reuniu com a Direcção do Museu de Ovar. Localizado na cidade de Ovar, entre inúmeras valências, apresenta várias colecções de Trajes Típicos, não só da região de Aveiro, nomeadamente de Ovar, como de outros pontos do País e até do mundo, e de várias épocas. No entanto, esta instituição não orienta a sua actividade apenas para o tema etnográfico, pois promove outras manifestações artísticas relacionadas com a pintura, a escultura, a cerâmica e a escrita, entre outras. O Museu de Ovar tem também organizado exposições itinerantes, tanto em Portugal como no estrangeiro, nomeadamente Índia, Tóquio, Nova Iorque e França.

Direcção do museu de Ovar e activistas do PCP em reunião

Tem ainda sido prática corrente animar o Museu de Ovar com exposições de escultura, pintura e fotografia de artistas de diversas origens, e nos últimos anos tem-se desenvolvido a rubrica “À palavra com”, evento que promove palestras com escritores conceituados, trazendo aos visitantes do museu a sua obra, “dando-lhes” em troca a cidade e as suas gentes.

Com todo este trabalho realizado, o Museu de Ovar precisa de ser reconhecido como importante instituição do nosso Município e mais apoiado. Tarefas urgentes se impõem, seja ao nível da inventariação do acervo em suporte digital e devidamente fotografado, seja com a ampliação de instalações, tanto para guardar como para expor as suas valiosas peças.

Como parte integrante da Rede Museológica Local, o Museu de Ovar deverá ser incluído em candidaturas da Câmara Municipal a fundos comunitários para a área da cultura.

Pelo valor que o Museu de Ovar tem para a comunidade vareira, para a região e para o País, o PCP, no quadro da sua actuação política, solidariza-se e apoia a Instituição. Compromete-se a apresentar, em momento e local próprios, quer através dos seus eleitos nas Assembleias de Freguesia e Municipal - no plano local - quer na Assembleia da República, por intermédio dos seus deputados, iniciativas conducentes à afirmação do valor do Museu de Ovar e à resolução das carências evidenciadas.

 
Desfile-Comício contra a Precariedade c/ Jerónimo Sousa | Sexta 20/Maio, 21h | Largo da ADO » Esc. Dias Simões PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Comissão Concelhia de Ovar do PCP   
Sexta, 13 Maio 2016 12:27

Desfile-Comício contra a Precariedade c/ Jerónimo Sousa | Sexta 20/Maio, 21h | Largo da ADO » Esc. Dias Simões

 
PCP reúne com a Direcção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Ovar PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Comissão Concelhia de Ovar do PCP   
Quarta, 30 Março 2016 16:44

O PCP reuniu com os Bombeiros Voluntários de Ovar assegurando uma linha política de proximidade com as associações e colectividades com enorme entrosamento na população e identitárias da comunidade.

A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Ovar colectividade prestes a completar 120 anos de vida, surgiu numa época em que a praia do Furadouro era constituída quase na totalidade por palheiros e outras construções em madeira. a falta de largura das ruas, a falta de ordenamento das habitações e a distância conjugada com a lentidão dos meios de socorro provocaram grandes tragédias reflectindo a enorme necessidade de constituição de um corpo de bombeiros voluntários capaz de prevenir e combater estes flagelos - nascia assim esta associação.

Reunião com a Direcção Humanitária dos B.V.O.

Com o traço da sua estrutura bem delineado, cabe à Direcção dos Bombeiros Voluntários de Ovar a responsabilidade de encontrar soluções para satisfazer todo o tipo de necessidades do seu corpo operacional, dirigido pelo Comando.

Foi para conhecer a sua história, estrutura humana, virtudes e necessidades que a delegação do PCP se reuniu com a direcção dos Bombeiros Voluntários de Ovar, e neste enquadramento, entre outros aspectos, conheceu a forma como se tenta manter os níveis de motivação adequados do seu pessoal, prevenindo a dificuldade de recrutamento que outras corporações já experimentam, as formas de financiamento do seu orçamento anual, as suas instalações, os seus meios para a prevenção e combate a incêndios, o socorro às populações em caso de incêndios, inundações, desabamentos, abalroamentos e em todos os acidentes, catástrofes ou calamidades, o socorro a náufragos e buscas subaquáticas, o socorro e transporte de sinistrados e doentes, incluindo a urgência pré-Hospitalar e para outras valências.


O Sr. presidente da Associação demonstra à delegação do PCP o actual quartel dos Bomebiros

Toda esta actividade exige prudente gestão, não só de organização mas também de recursos materiais e financeiros, contando para isso com apoios do estado através da autarquia e da administração central, sempre insuficientes, pois apenas compreendem 64% do seu orçamento anual, que ronda os 650 000€. Assegurar os restantes 36% (cerca de 234 000€) que permitem a estrutura funcionar é o principal desafio do grupo directivo dos Bombeiros Voluntário de Ovar.

Acresce ainda a necessidade premente de intervenção no seu quartel, o qual, foi inaugurado a 19 de Dezembro de 1993, portanto com mais de 20 anos e que até ao momento não teve qualquer intervenção de maior, deparando-se com problemas estruturais de vária ordem.


Demonstração das viaturas histórias pertencentes aos Bombeiros

Os bombeiros portugueses prestam, não apenas um, mas uma variedade de serviços públicos essenciais, indispensáveis e inestimáveis. É nesta perspectiva que os comunistas entendem como fundamental que o Estado aloque os recursos suficientes para o seu funcionamento pleno e regular. Deve, para além disto, estabelecer um quadro financeiro plurianual de apoio à modernização de instalações e equipamentos dos corpos de bombeiros.

O PCP apresentou ainda a sua total disponibilidade para lutar em defesa dos seus interesses, seja através das instituições locais - na Assembleia-Municipal e na Assembleia da União de Freguesias de Ovar - seja através dos seus deputados na Assembleia da República, promovendo as adequadas iniciativas legislativas.

Para o PCP a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Ovar é um bastião de dignidade do município de Ovar e como tal, há que a elevar, há que a seguir e há que a preservar.



 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Pág. 2 de 47