br ar    v a l v

Atentado ambiental na Habitovar PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Comissão Concelhia de Ovar do PCP   
Domingo, 26 Fevereiro 2012 21:43
Etiquetas:

Corte indiscriminado de árvores na Habitovar

De forma absolutamente inexplicável, a Câmara Municipal de Ovar procedeu recentemente ao corte indiscriminado de dezenas de árvores na Habitovar, alegadamente em resposta a um pedido de alguns munícipes. Perante esta situação absurda que alarmou grande parte dos moradores daquela cooperativa da cidade de Ovar, Miguel Viegas, eleito do PCP na Assembleia Municipal de Ovar deslocou-se ao local, contactando com a população.

Na avaliação do PCP, a situação é de enorme gravidade porquanto se procedeu ao abate de mais de meia centena de árvores, na sua grande maioria, pinheiros, com dezenas de anos, parte dos quais plantados pelos primeiros cooperantes que inauguraram o bairro. Zonas inteiras, que representavam verdadeiros oásis de sombra e sossego, estão agora desertificadas de árvores , designadamente junto à rua Bento Jesus Caraça, rua António Sérgio, rua Maria Lamas, rua Rafael Bordalo Pinheiro e Praça 1º de Maio. Segundo o eleito comunista, esta situação representa um verdadeiro atentado ambiental, que motivou já um requerimento dirigido à Câmara, exigindo explicações sobre o assunto.

 

Em primeiro lugar, não se compreende o critério de representatividade de um pedido que a maioria dos moradores não chegou a conhecer. Ou seja, esta Câmara que se diz tão democrática, ignora abaixo-assinados com milhares de assinaturas contra a privatização da água ou do saneamento, mas acede a um pedido desta natureza, ainda por cima contra a vontade da própria direção da Habitovar.

Em segundo lugar, não se percebe porque não usou a Câmara Municipal de Ovar de alguma pedagogia, fazendo compreender aos moradores que as árvores são um bem essencial à sobrevivência do planeta, e promovendo inclusivamente informação sobre meios de poder ultrapassar o problema da caruma nas caleiras que esteve na base da reclamação.

Finalmente, o PCP não pode, nesta altura, fazer menos do que exigir publicamente que a Câmara proceda à plantação de igual número de árvores dando assim um mínimo de coerência às sua acção. Não é possível fazer a pedagogia do desenvolvimento sustentável, promovendo a plantação de árvores no dia mundial da árvore como aconteceu em Março do ano passado, para depois perpetrar um crime ambiental desta envergadura!

 


 

REQUERIMENTO


Requerimento dirigido a:
Exmo. Sr. Presidente da Assembleia Municipal
Assunto:
Corte de pinheiros na Habitovar

 

Exmo. Sr. Presidente:

De forma absolutamente inexplicável, a Câmara Municipal de Ovar procedeu recentemente ao corte indiscriminado de dezenas de árvores na Habitovar, alegadamente em resposta ao pedido dos moradores.

Trata-se de uma situação grave porquanto grande parte das árvores tinham mais de 3 décadas de existência contribuindo de forma decisiva para a qualidade ambiental daquela localidade da nossa cidade.

Perante este verdadeiro atentado ambiental, e na sequência de diversas interpelações realizadas por mim no terreno, venho por este meio colocar as seguintes questões ao executivo municipal:

 

  • Como avalia a representatividade do pretenso abaixo-assinado, realizado por alguns moradores, mas que outros desconhecem por completo, e porque não foi tida em conta a opinião da direcção da Habitovar que se manifestou contra o abate das árvores, muitas delas plantadas pelos primeiros cooperantes que inauguraram o bairro já lá vão mais de 30 anos?
  • Porque não usou a Câmara Municipal de Ovar a mesma pedagogia implícita nas comemorações recentes do dia mundial da árvore em que promoveu a plantação de árvores em todas as escolas, para tentar demover os moradores descontentes e fazê-los compreender que as árvores são um bem essencial à sobrevivência do planeta?
  • Como pensa a Câmara compensar de imediato este abate perfeitamente absurdo, no sentido de repor no mínimo, igual número de árvores abatidas no local, por forma a respeitar o princípio elementar do desenvolvimento sustentável, segundo o qual devemos cuidar do planeta por forma a entregá-los às gerações sem comprometer a sua qualidade de vida?

 

Sem mais, despeço-me cordialmente, exortando a Câmara a tomar as medidas necessárias para resolver esta questão.

Ovar, 26 de Fevereiro de 2012

Miguel Viegas

Eleito do PCP na Assembleia Municipal de Ovar

 

Jardins entre a rua Bento Jesus Caraça e rua António Sérgio, Habitovar

Jardins entre a rua Bento Jesus Caraça e rua António Sérgio, Habitovar


Jardins atrás da Praça 1º de Maio, lado Este, Habitovar

Jardins atrás da Praça 1º de Maio, lado Este, Habitovar

 

Jardins atrás da Praça 1º de Maio, lado Norte, Habitovar

Jardins atrás da Praça 1º de Maio, lado Norte, Habitovar