br ar    v a l v

O PCP em defesa do SNS e do Hospital Dr. Francisco Zagalo PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Comissão Concelhia de Ovar do PCP   
Quinta, 10 Maio 2012 15:32
Etiquetas:

Ação do PCO em defesa da saúde junto do Hospital de Ovar

Numa altura em que se adensam as preocupações respeitantes ao Hospital Dr. Francisco Zagalo, de Ovar, o PCP contatou, na última terça-feira, com os utentes à porta desta importante valência. Mais do que nunca, é urgente defender o Hospital e o Serviço Nacional de Saúde, que está a ser alvo de um feroz ataque do governo do PSD/CDS para abrir caminho aos negócios privados à custa da saúde e do bem-estar dos portugueses.

A Administração Central do Sistema de Saúde, do Ministério da Saúde, publicou recentemente o estudo “Actuais e Futuras Necessidades Previsionais de Médicos (SNS), de Setembro de 2011, com perspetivas arrasadoras para o hospital Dr. Francisco Zagalo, propondo a retirada de 15 (quinze) médicos ao hospital, fechando 7 (sete) serviços. Segundo este documento, a especialidade de Anestesiologia ficaria sem os seus atuais 5 médicos; Cardiologia, Radiologia (na qual se investiram 1,2 milhões de euros, para aquisição do mais moderno equipamento, em 2006) e Urologia perderiam todas o único médico que têm; à Cirurgia Geral seriam retirados os 2 cirurgiões; à Ortopedia, os dois ortopedistas e à Medicina Interna todos os 3 médicos.

A Comissão Concelhia de Ovar do PCP considera inaceitável que possam ser retirados mais serviços e médicos do Hospital de Ovar, e alerta todos os utentes, forças vivas e população do concelho e apela à sua disponibilidade para se mobilizarem, se necessário for.

Para o PCP a questão da acessibilidade aos cuidados de saúde é fulcral e só um Serviço Nacional de Saúde, universal, geral e gratuito pode garantir o acesso de todos aos cuidados de saúde, independentemente das condições económicas e sociais.

O PCP considera que é tempo de parar com esta política que dificulta o acesso; que agrava o pagamento dos custos inerentes às taxas moderadoras e o aumento do preço dos medicamentos; que degrada a qualidade dos serviços prestados principalmente devido à redução do número de trabalhadores por turno e por serviço e pela falta de recursos materiais, desde os mais básicos aos mais complexos.

É tempo dos portugueses dizerem basta. Basta à política das troikas, levada a cabo pelo governo do PSD/CDS, que está a ter um impacto gravíssimo a curto, médio e longo prazo, na saúde dos portugueses!

A Administração Central do Sistema de Saúde, do Ministério da Saúde, publicou recentemente o estudo “Actuais e Futuras Necessidades Previsionais de Médicos (SNS), de Setembro de 2011, com perspetivas arrasadoras para o hospital Dr. Francisco Zagalo.

Os seus autores não estão com meias medidas, querem retirar 15 (quinze) médicos ao hospital, fechando 7 (sete) serviços!!!

A especialidade de Anestesiologia fica sem os seus atuais 5 médicos; Cardiologia, Radiologia (na qual se investiram 1,2 milhões de euros, para aquisição do mais moderno equipamento, em 2006) e Urologia perdem todas o único médico que têm; à Cirurgia Geral são retirados os 2 cirurgiões; à Ortopedia, os dois ortopedistas e à Medicina Interna todos os 3 médicos.