br ar    v a l v

Eleito do PCP em defesa das PME’s e do comércio local PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Comissão Concelhia de Ovar do PCP   
Domingo, 30 Maio 2010 20:47
Etiquetas:

Manuel Duarte em contacto com comerciantes

Na sequência da última Assembleia de Freguesia de Ovar, durante a qual o PCP propôs um conjunto de medidas visando a revitalização do comércio local, Manuel Duarte, eleito comunista naquele órgão autárquico, tem vindo a contactar com os comerciantes da cidade, procurando divulgar as suas propostas e ouvir igualmente sugestões que possam contribuir para melhorar a situação que se agrava de dia para dia.

Como é dito no boletim distribuído aos comerciantes, as micro, pequenas e médias empresas representam a esmagadora maioria das unidades económicas existentes no nosso país e na nossa região. São elas que produzem o grosso da riqueza e empregam a maioria dos trabalhadores portugueses. Paradoxalmente, e apesar de todas as promessas dos grandes partidos, são aquelas que menos apoios recebem, sendo também as mais penalizadas pelos elevados custos energéticos e pelo acesso ao crédito.

 

Para além das sugestões apresentadas por Manuel Duarte na última Assembleia de Freguesia, que passam entre outras aspectos para realização de projectos de animação de rua concursos de montras, roteiros gastronómicos etc., o PCP, na Assembleia da República, tem igualmente apresentado inúmeras propostas visando apoiar este sector fundamental da nossa economia. Para além do necessário reforço do poder de compra dos portugueses através de uma mais justa repartição da riqueza criada como condição fundamental para revitalizar as PME’s e o comercio local, o PCP propôs recentemente o encerramento das grandes superfícies ao domingo, a eliminação do pagamento especial por conta (que o PSD deixou cair vergonhosamente), e a diminuição dos prazos de reembolso do IVA incluindo a sua contabilização numa lógica de caixa e não de facturação. Outro aspecto fundamental tem a ver com a necessidade do Estado voltar a controlar sectores chaves da nossa economia como seja a banca, o sector energético ou o dos transportes. Só assim será possível termos a EDP, a GALP ou ainda a banca ao serviço do desenvolvimento do País e não ao serviço dos seus accionistas privados, a acumular lucros obscenos obtidos através de preços monopolistas e à custa de todos nós.

 

Este conjunto de sugestões demonstra por um lado o conhecimento profundo dos problemas com que se debatem a maioria das nossas pequenas e médias empresas, e por outro a transversalidade das propostas do PCP que conta cada vez mais como o apoio deste importante sector da economia que começa a sofrer na pele as injustiças do sistema, onde as grandes empresas canibalizam as pequenas e onde as falências começam a atingir proporções calamitosas.