br ar    v a l v

Acções de venda especial do «Avante!» PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Comissão Concelhia de Ovar do PCP   
Terça, 28 Junho 2016 20:11

Em Ovar assim como por todo o país

Acções de venda especial do Avante

E

Inserida na Campanha Nacional de divulgação do «Avante!» realizou-se no passado sábado, 25 de Junho, no Mercado Municipal de Ovar, uma acção, de venda especial do Jornal «Avante!», visando o alargamento da venda – junto dos militantes e amigos do Partido, dos trabalhadores e do povo.

Este número integrava o Jornal dos Artistas da Festa e um suplemento de quatro páginas também sobre a Festa do «Avante!».

Registe-se a boa receptividade desta iniciativa junto da comunidade ovarense.

 
Debate "Mais Direitos, Mais Futuro, Não à Precariedade" PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Comissão Concelhia de Ovar do PCP   
Quarta, 17 Fevereiro 2016 18:25


No próximo dia 20 (sábado) terá lugar na Junta de Freguesia de Ovar às 21:30H um importantíssimo debate em torno das questões da precariedade laboral, as formas que assume e, essencialmente, como a combater.

Apelamos à divulgação e participação nesta importante iniciativa.

Não à precariedade, Mais Direitos, Mais Futuro

 
Intervenção do eleito da CDU Manuel Duarte na Assembleia de Freguesia de 23 de Abril PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Comissão Concelhia de Ovar do PCP   
Sexta, 24 Abril 2015 20:49


Intervenção Manuel Duarte Assembleia Freguesia 23ABR2015

Período Antes da Ordem do Dia

Assim como a árvore se distingue pelos frutos que dá, se são bons a árvore é boa, se são maus a árvore é má. O comportamento dos humanos, dirigentes, políticos ou, simplesmente homens, vê-se nas boas ou más práticas que executam, vindo isto a propósito para chamar a atenção para a plantação daquelas árvores que as empresas de electricidade e de comunicações plantam ao longo das nossas ruas e estradas, árvores sem folhas verdes mas com lianas negras, enroladas, penduradas, numa atitude selvagem.

Indaguei os técnicos que andavam a montar cabos de fibra óptica, se era desta vez que queriam acabar com tais práticas, sabido que a fibra óptica permite enviar num só cabo milhões de informações diferentes, ao que me respondeu que não, porque as diferentes empresas não se entendem, e como não se entendem quem paga é o ambiente.

Más práticas são, também, substituir os trabalhadores da Junta de Freguesia por desempregados ou empresas de trabalho precário, sem direitos e com maus vencimentos, tenta-se poupar uns míseros cêntimos e contribui-se fortemente para manter o desemprego e a miséria no País.

Adam Smith com os seus estudos económicos no século 18° chegou á conclusão de que a riqueza de um país não depende da poupança nem do ouro acumulado mas, da quantidade e qualidade da produção dos seus trabalhadores.

O preço justo e a distribuição da riqueza já foram bem defendidos por São Tomás de Aquino no séc. XIII, e nem vos falo de Karl Marx para não deixar dúvidas nem assustar ninguém.

Como não se entendem, quem paga é a sociedade.

Passar das más práticas para as boas práticas é um imperativo para salvar Portugal da miséria e da dependência, sendo que as boas práticas são o equilíbrio ecológico, a defesa do ambiente, a qualidade de vida, são o pagamento justo para distribuir a riqueza, é a reposição do Código do Trabalho na versão antiga, para criar estabilidade no trabalho e desenvolvimento no País, são a reposição dos salários cortados e devolução do que sacaram aos reformados, pôr um travão na ganância dos capitalistas, cumprir as promessas eleitorais e respeitar a palavra dada.

Trazer de novo o espírito do 25 de Abril e a esperança a este povo acabrunhado e endividado, pois só assim podemos gritar de novo:

- VIVA O 25 DE ABRIL PARA SEMPRE!

 
Intervenção de Manuel Duarte na Assembleia de Freguesia de Ovar - Abril 2013 PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Comissão Concelhia de Ovar do PCP   
Segunda, 15 Abril 2013 21:32

Manuel DuarteIntervenção de Manuel Duarte na Assembleia de Freguesia de Ovar, de 10 de Abril 2013.


Situação do Hospital de Ovar

Não se compreende as razões para que o governo queira entregar o Hospital de Ovar à Misericórdia par ser descativado. Nesta data a situação é seguinte:

- O Conselho de Administração encontra-se demissionário.

- O Hospital tem 190 trabalhadores dos quais 70 são precários de todas as categorias.

- A situação financeira é boa.

- Foram feitas obras de milhares de euros com dinheiros públicos.

- O Hospital possui bons recursos humanos, sendo considerado excelente com vários louvores.


O QUE ACONTECE SE ENCERRAR

O Hospital serve 60.000 pessoas do Concelho e arredores. 20% desta população é pobre e outros 20% estão no limiar da pobreza. Não há transportes disponíveis para deslocações a outras unidades de saúde. Já são longos os tempos de espera no Hospital de S. Sebastião. Aveiro fica muito distante e paga portagens. Os idosos e as crianças são as camadas que mais precisam dos hospitais de proximidade. Ficam assim privados dos cuidados de saúde.


O QUE FAZER?

É preciso que os Partidos, seja qual for a sua ideologia, se mobilizem na defesa desta estrutura. O nosso Hospital nasceu público em 1814 duma parceria Câmara e Igreja. Muito antes de Aveiro ou Santa Maria da Feira. Foi entregue à Misericórdia um século depois por inércia de governantes incapazes de o administrar. O hospital novo, este que existe agora, foi construído à custa de cortejos e oferendas pelo povo e donativos dos comerciantes e industriais do Concelho. Cabe-nos agora defendê-lo por todas as razões apontadas e mais a vergonha histórica de sermos os coveiros do nosso hospital.

Reforço o apelo aos partidos representados nesta Assembleia de Freguesia.

Não deixem morrer o nosso Hospital.


[Este texto foi transformado em moção, com algumas alterações, para enviar à ARS. Foi aprovada por unanimidade.]


2. Defesa da Costa

A senhora ministra Assunção Cristas anunciou em 26 de Março ter celebrado contractos com a POLIS para obras de protecção da orla costeira. No que diz respeito a Ovar a defesa das praias de Esmoriz, Cortegaça e Furadouro tem uma dotação de 977.288 euros para ser executada em 2013.

Para a protecção das dunas da praia de Cortegaça a dotação é de 1.028.500 euros para ser executada em 2013 e 2014.

Para a protecção da praia de Maceda são 500.000 euros a executar em 2013 e 2014.

De fora ficou a drenagem da Ria e a recuperação dos Cais da Ribeira e Carregal.

É um remendo no velho pano já muito desgasto.


3. Comunidades Intermunicipais

O governo nomeou 70 assessores para governar as mini regiões intermunicipais. De nada valeu extinguir os Governadores Civis. Só aumentou a despesa e criou mais burocracia.


Manuel Duarte

 
CDU explica o que fará por Esmoriz PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Comissão Concelhia de Ovar do PCP   
Segunda, 07 Janeiro 2013 23:20
Etiquetas:

- Teremos mesas de voto distribuídas pela cidade, se acaso conseguirem “representação”?

Albino SilvaA nossa reivindicação – pela qual lutamos há muito – é para a instalação de uma mesa de voto na Praia de Esmoriz, como acontece no Furadouro.

- Como é possível “obrigar” os eleitores de Esmoriz a votar fora de tempo, a poucos meses das eleições regulares?

Não é! O perigo de uma grande abstenção é real. A responsabilidade é do PS (incluindo a anterior presidente, agora candidata do GIPE), do PSD e do CDS-PP, que provocaram as eleições. A CDU faz o que lhe compete. Apresenta uma alternativa real, convocando os eleitores para abrir as portas à mudança necessária com o seu voto na CDU.

- O que vai acontecer ao edifício do Cine Teatro Esmoriztur?

A saga do Esmoriztur é a prova do desleixo do governo do PSD/CDS-PP e, também, da Câmara. Depois de tanta exasperação as coisas poderão mudar. Projeto já existe. Obra é que não. Não se invoque a falta de dinheiro. Só o que o governo tenciona malbaratar no Banif, 1.100 milhões de euros, dava para requalificar o Esmoriztur mais de 550 vezes.

- A Loja do Cidadão vai manter-se com o “quase nada” para os utentes?

O futuro da Loja do Cidadão depende da vontade governamental e esta será condicionada pela atuação das populações e das autarquias. A CDU será ativa para que aos cidadãos sejam prestados os serviços a que têm direito.

- Como vai combater o desemprego na cidade e como vai apoiar os que pedem ajuda alimentar?

O desemprego é a política do governo do PSD/CDS-PP, que ataca o povo para favorecer os privilegiados. Em 2012, enquanto o desemprego aumentava, os ricos ficaram mais ricos: “no ano passado, as maiores fortunas portuguesas cresceram 13%, o que equivale a 1,54 mil milhões de euros.” Foi noticiado há dias. Demitir o governo e mudar de política é o que se exige para combater o desemprego. Dito isto, não deixaremos de interagir com as entidades vocacionadas para procurar socorrer às situações mais aflitivas.

- Se a Reforma Administrativa avançar, Ovar vai “anexar” a vila de S.João e as freguesias de S. Vicente e Arada, tornando-se numa superfreguesia. Como encara a futura relação de forças, historicamente difícil, entre as duas cidades do concelho: Ovar e Esmoriz?

Somos resolutamente contra a liquidação de freguesias decidida pelo PSD e o CDS-PP. Se formos eleitos pugnaremos por relações de cooperação e respeito institucional entre a Câmara e a Junta de Esmoriz. Não será por culpa nossa se assim não vier a suceder.

- Se for eleito/a, quais serão as suas primeiras medidas, entre aquelas que fazem parte do seu programa eleitoral?

Todas elas são prementes e de execução quase imediata. O nosso programa foi pensado para ser concretizável nestes poucos meses de mandato. Evidentemente, conhecer a real situação da Junta é uma prioridade absoluta. O que não condicionará a nossa atuação; pois as medidas que propomos são exequíveis mesmo que a situação da Junta de revele tão má como dizem.

- A que pergunta gostaria de responder e que aqui não foi formulada?

Gostaria de apelar aos esmorizenses para que não desperdicem esta oportunidade de castigar o PSD, o CDS-PP, o PS e a candidata do GIPE pelo mal que fazem ou fizeram; os dois primeiros no governo e todos eles na autarquia de Esmoriz. E que deem uma oportunidade à CDU, para provar que pode fazer diferente e conduzir à mudança real que a grande maioria deseja.

Albino Silva

 

Entrevista concedida ao blogue Ovar Novos Rumos

 
Desilusão, amargura, protesto, mas, também, proposta, ouviu a CDU dos cidadãos de Esmoriz PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Comissão Concelhia de Ovar do PCP   
Domingo, 06 Janeiro 2013 22:31
Etiquetas:

A CDU em Esmoriz

 

A CDU em Esmoriz

 

A CDU em Esmoriz

A CDU prosseguiu com os seus encontros com a população de Esmoriz no Sábado, dia 5, durante todo o dia e no Domingo de manhã, dia 6.

Numa jornada de intensos contactos, em que percorreu grande parte da freguesia, desde Gondesende até à Praia, a CDU, sempre bem recebida, auscultou, uma vez mais, a opinião das pessoas, carregadas de desilusão, amargura, mas, também, de visão própria sobre os problemas, ao mesmo tempo que divulgava a sua mensagem e o seu programa.

Os cidadãos protestam contra o desemprego, a falta de rendimentos, a subida contínua dos preços da água, do gás e da luz, a falta de limpeza e degradação das estradas e ruas.

Simultaneamente, na Praia, os moradores discordam de algumas obras que foram feitas, sem a preocupação de os ouvir, para a proteção da costa, por não as considerarem as mais adequadas; da mesma forma, chamam a atenção para a necessidade de iniciativas que cativem os turistas, que se queixam da falta ações de animação adequadas.

À CDU foi igualmente transmitida a necessidade de se responder à falta de um espaço próprio para o convívio dos mais idosos assim como a da construção de parques infantis.

Por seu lado, a CDU, a todos expressou o entendimento da urgência das pessoas se fazerem ouvir através de ações próprias, nomeadamente, pela presença massiva nas reuniões da Assembleia de Freguesia e da Assembleia Municipal, onde os moradores façam ouvir a sua voz e exijam soluções para os seus problemas.

A CDU reconheceu também razão a todos os que se queixaram veementemente da atuação dos partidos políticos que, uma vez eleitos, se esquecem das promessas e fazem o contrário do que prometeram.

A CDU sublinhou, no entanto, que é injusto que essa acusação lhe seja feita a ela, porque, até hoje, não recebeu, infelizmente, o voto maioritário dos eleitores e também pelo facto de os seus eleitos, embora em minoria, se revelarem incansáveis lutadores pelos interesses do povo e do bem comum.

A CDU em Esmoriz

 

A CDU em Esmoriz

 

A CDU em Esmoriz

 
Neste programa e nestas pessoas os esmorizenses podem confiar! A CDU apela ao seu voto e à sua participação! PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Comissão Concelhia de Ovar do PCP   
Sexta, 04 Janeiro 2013 23:59
Etiquetas:

Programa da CDU para Esmoriz

Clique nas imagens para aumentar

Programa da CDU para Esmoriz, 2.º página

 
Carta-Apelo ao Povo de Esmoriz PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Comissão Concelhia de Ovar do PCP   
Segunda, 31 Dezembro 2012 22:47
Etiquetas:

Carta-Apelo de Albino Silva aos Eleitores de Esmoriz

 
A População de Esmoriz Está Indignada e Frustrada PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Comissão Concelhia de Ovar do PCP   
Domingo, 30 Dezembro 2012 22:38
Etiquetas:

A CDU em Esmoriz

A CDU realizou nova e frutuosa ação de contacto com a população de Esmoriz, no sábado, dia 29 de dezembro, durante a qual distribuiu a Carta-Apelo ao Povo de Esmoriz, de Albino Silva, candidato a presidente de Junta de Freguesia pela Coligação Democrática Unitária, nas eleições intercalares de janeiro próximo.

Quer da parte da manhã, no mercado local, quer da parte da tarde, no lugar da Praia e nos Bairros Sociais, a CDU foi recebida com simpatia pelos moradores, com os quais estabeleceu um vivo e profícuo diálogo.

Nestas trocas de opiniões, foi visível a profunda indignação e frustração que os esmorizenses sentem pelos impactos que estão a sofrer com as desgraçadas medidas do governo do PSD/CDS-PP, pelo constante incumprimento das promessas e da palavra pelos partidos que têm rodado no governo e na autarquia, os referidos e o PS, essencialmente, e pelo acumular dos problemas locais que aguardam há muito pela resolução devida.

A CDU na Praia de EsmorizO corte nos apoios sociais, a famílias com grande necessidade dos mesmos, foi das queixas mais escutadas; as deploráveis condições de habitação foi outra. Esta situação já poderia estar resolvida, não fora a recusa desumana da Câmara PS e do Governo do PSD/CDS-PP em concretizar o que há muito prometido está: a construção do Bairro Piscatório na Praia da Esmoriz.

De igual modo, o desemprego brutal, que não para de crescer, está a lançar muitas famílias no desespero, por se verem impedidas de obter o rendimento necessário para uma vida digna.

Outra das acusações formuladas foi a da degradação da rede viária, seja na zona dos pescadores, na Praia, seja na Rua da Estação, ou na rua Guerra Junqueiro, entre outras, esquecidas pela Junta de Freguesia anterior e pela Câmara PS. Estas preferiram concentrar-se em algumas obras, onde julgam colher maiores benefícios eleitorais; mas, mesmo aí, mostraram falta de organização, com efeitos nefastos para os habitantes circundantes.

A CDU na Praia de EsmorizEstes factos vêm ao encontro das posições e propostas que a CDU tem assumido; incluindo a preocupação, que também nos foi manifestada, pela elevada abstenção eleitoral que se pode registar em função de as pessoas não compreenderem a razão de ser destas eleições intercalares.

Se estes receios se vierem a confirmar, a responsabilidade será dos candidatos do GIPE, PS, PSD e CDS-PP que, enquanto eleitos na Junta e Assembleia de Freguesia anteriores, não se empenharam de forma suficiente para encontrar uma solução que evitasse o ato eleitoral presente.

Os candidatos e apoiantes da CDU, além de tomarem a devida nota de tudo o que lhes foi dito pelos populares, transmitiram uma mensagem de confiança, de que é possível iniciar outro caminho, que responda aos anseios das pessoas, estando nas suas mãos a possibilidade de o encetar, mudando o seu sentido de voto, não se abstendo, nem repetindo o voto nas velhas forças que sempre dominaram a autarquia, antes apoiando e votando na CDU.

Finalmente, segundo diversas notícias, os anteriores eleitos do PS e a ex-presidente da Junta de Freguesia terão apresentado queixa no Ministério Público, uns contra os outros, em razão do seu desempenho na Junta demitida.

Porque todos os envolvidos são atuais candidatos - Pelo PS e pelo GIPE - as regras elementares da democracia e da transparência exigem que confirmem a veracidade, ou não, dessas notícias e, em caso afirmativo, que informem a população dos motivos que os levaram a formular as referidas acusações.

Ação da CDU na Praia de Esmoriz

Esmoriz, 30 de dezembro de 2012

A Comissão Coordenadora de Esmoriz da CDU

 
Intervenção do camarada Manuel Duarte na Assembleia de Freguesia de Ovar de 27 de dezembro de 2012 PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Comissão Concelhia de Ovar do PCP   
Domingo, 30 Dezembro 2012 22:02
Etiquetas:

Índice:

» 1 - Período Antes da Ordem do DiaManuel Duarte

»» 1.1 - Reforma Administrativa

» 2 - Plano de Atividades e Orçamento

 

1. Período Antes da Ordem do Dia

Mais um ano que passou e que não vai deixar saudades.

O País ficou mais pobre, mais endividado, e sem esperança no futuro.

Cresceu o desemprego, mais empresas faliram, aumentou a pobreza e, com ela, a caridade. A fome instalou-se nas camadas de rendimentos médios e baixos e estendeu-se às crianças das escolas.

Os apoios sociais são cada vez mais reduzidos, com cortes no Abono de Família, no Rendimento Social de Inserção, nos subsídios de desemprego, nos apoios aos idosos.

As reformas de quem descontou uma vida inteira são penalizadas de 3.5% a 10%.

As taxas moderadoras nas consultas e meios de diagnóstico foram também aumentadas.

A maior fatia das reformas mínimas vai, agora, para os medicamentos.

Subiram os impostos diretos, IMI, IRS e os indiretos, o IVA. Água, luz e gás também subiram.

Para ajudar a criar um estado de resignação geral, o governo ainda afirmou que, se o dinheiro não chegar, tomará outras medidas.

Na mensagem de Natal o Primeiro-ministro disse que estava tudo a correr bem. Nós é que não entendemos.

Em Ovar cresce o número de pessoas que recorrem à “Sopa dos Pobres”, do Mãos Solidárias.

Cresce o número de pedidos de apoio para pagar rendas de casa água, luz e gás.

Nas escolas do 1.º e 2.º ciclo são os pedidos de apoio para material escolar e almoço nas cantinas.

Crises, Portugal já teve muitas. Ao analisá-las através da história verificamos que o caminho que está a ser seguido não é o indicado.

Os governos que seguiram o modelo da recessão económica fracassaram e levaram o país para a conflitualidade.

Veja-se, por exemplo, o que se passou com o governo da monarquia há cem anos atrás.

De tanto ceder aos credores, estes fizeram-se arrogantes ao ponto de os ingleses exigirem a ilha da Madeira em troca da dívida. O governo ia ceder e, como sabem, foi o fim da monarquia. Os portugueses não são tão serenos, como para aí dizem.

A dívida foi renegociada a cem anos. A última tranche foi paga por nós em 2003.

Devíamos bater o pé, como faz a Islândia. Uma Europa assim não tem interesse.

Sem produzir nunca iremos pagar a dívida.

[Índice ^]

1.1 Reforma Administrativa

A Reforma Administrativa mexe com as nossas vidas e com a nossa capacidade de compreensão.

No Mapa das Comunidades Intermunicipais NUT III (Nomenclatura de Unidades Territoriais), que passaram de 12 para 7, a Região de Aveiro aparece como o distrito de Aveiro amputado de vários concelhos.

Fazem parte os concelhos de Águeda, Albergaria-a-Velha, Anadia, Aveiro, Estarreja, Ílhavo, Murtosa, Oliveira do Bairro, Ovar, Sever do Vouga e Vagos.

Nesta altura, como Comunidade Intermunicipal Região de Aveiro/Baixo Vouga, tem como presidente José Ribau Esteves, presidente da Câmara Municipal de Ílhavo; vice-presidentes José Eduardo Matos, presidente da Câmara Municipal de Estarreja e Gil Nadais, presidente da Câmara Municipal de Águeda; secretário executivo, Manuel Rocha Galante.

A única razão apontada na NUT III é ter ensino superior.

As Comunidades Intermunicipais recebem a descentralização de competências e funções do Estado central.

São para entrar em vigor a partir das próximas eleições autárquicas.

A Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro recebe as competências do extinto Governo Civil de Aveiro.

Aguardamos para saber como vai ser eleito este Órgão de Poder. Em democracia não deve haver nomeações, mas sim eleições.

Se estes dirigentes forem nomeados a partir do Governo central temos a continuação de arranjar cargos para colocar os falhados das autarquias.

Uma notícia de hoje dá-nos conta de que o Governo libertou os fundos comunitários para a Pólis da Ria de Aveiro.

Ribau Esteves, presidente do conselho de administração da Pólis Litoral Ria de Aveiro, aprovou o lançamento de concursos públicos, cuja obra está prevista para o 1.º semestre de 2013.

No que diz respeito a Ovar – Cais da Ribeira, Foz do rio Cáster e praia do Areinho tem um orçamento de 492 mil euros. Para a requalificação da Azurreira estão previstos 396 mil euros.

Se não se ficarem pelo papel, como tantas outras, são boas notícias no fim de um ano tão mau.

[Índice ^]

2. Plano de Atividades e Orçamento

O Plano Plurianual de Investimentos para o ano de 2013 mereceu da minha parte uma análise cuidadosa.

Começarei pela rubrica de Requalificação de Instalações Desportivas e Recreativas. Com uma dotação de 30.000 euros para Parques Infantis e manutenção dos equipamentos já existentes. Concordo Plenamente.

Sinalização de Trânsito, 5000 euros. É uma necessidade sinalizar na rua Daniel Constant na saída para a estrada da Marinha, com marcação no asfalto e proteger com pilaretes a linha de água no Carregal.

Melhoramentos Culturais e Afins, 1000 euros. Já teve mais, é da crise. Quem vai sofrer é o Junta-te a Nós.

Transferências para Instituições sem fins lucrativos, 4500 euros. Reflete a necessidade de reforçar os apoios sociais.

O Governo corta nos apoios sociais do Estado. As juntas de freguesia não podem abandonar a população.

Equipamento básico, 1500 euros. Não se destina certamente só para a Azurreira. Tendo em conta a notícia de abertura de concurso público para as obras nesse espaço, seria de aguardar por elas.

Proponho que a verba se mantenha no orçamento. Há outros espaços a necessitarem.

Duma maneira geral é de aprovar este orçamento.

Estando a Freguesia de Ovar em vias de extinção, já foi aprovado na Assembleia da República, os seus órgãos serão igualmente extintos.

Como vai funcionar a partir da aprovação da lei?

A Câmara nomeia uma comissão administrativa, como se não tivesse havido eleições, ou se os órgãos tivessem caído?

Qual o papel da Assembleia de Freguesia, que terá de anunciar a extinção. O que se seguirá?

Quem assume responsabilidade pelos trabalhadores e compromissos assumidos pela Junta?

São muitas as perguntas. Haja quem dê respostas.

Estamos em pleno direito de aprovar o orçamento para 2013. Não temos é garantias de que farão as transferências das verbas.

[Índice ^]

 
A CDU apresenta-se às eleições intercalares de Esmoriz PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Comissão Concelhia de Ovar do PCP   
Sexta, 30 Novembro 2012 12:30
Etiquetas:

CDU

 

Uma delegação da Coligação Democrática Unitária, CDU, (coligação integrada pelo PCP) constituída por Albino Silva, Armando Folha e Óscar Oliveira formalizou hoje, no Tribunal de Ovar, a sua candidatura às eleições intercalares para a Junta de Freguesia da cidade de Esmoriz.

oscar oliveira, albino silva, armando folha

A CDU apresenta-se como a alternativa, capaz de fazer diferente para servir os esmorizenses, pronta a assumir as responsabilidades pelos destinos da autarquia, se essa for a vontade do cidadão soberano de Esmoriz.

Estas eleições intercalares (a poucos meses das eleições legais do final de 2013), que a CDU não desejou, poderiam ter sido evitadas se a vontade política fosse outra, nomeadamente, se os principais intervenientes na Assembleia de Freguesia - o PS e o PSD/CDS-PP - tivessem sido mais sensatos nas atitudes que tomaram.

Esmoriz precisa de mudar.

A longa e monótona hegemonia política na cidade das velhas forças, representadas na anterior Assembleia de Freguesia, conduziu à lamentável crise que provocou estas eleições intercalares.

Em prol de Esmoriz e das suas gentes, a CDU afirma-se com toda a confiança e disponível para assumir a responsabilidade por essa mudança.

A lista da CDU é encabeçada por Albino Silva, conhecido dirigente associativo e composta por homens e mulheres de boa vontade, abertos ao diálogo, empenhados, de forma desinteressada e em cooperação com todos, a procurar as soluções de que Esmoriz precisa.

 

Esmoriz, 29 de novembro de 2012

A Comissão Coordenadora de Esmoriz da CDU

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 Seguinte > Final >>

Pág. 2 de 4